Inovação é sobre tecnologia pessoas

Até hoje, algumas empresas ainda sofrem com a herança do Fordismo na cultura organizacional: ambientes de trabalho sistemáticos, desvalorização das pessoas e um formato de gestão vertical e hierarquizada são um forte obstáculo para a transformação digital.

Em paralelo, é inegável que as tecnologias exponenciais e os novos desafios e oportunidades promovidas pela indústria 4.0 demandam mudanças na estrutura das empresas e exigem novas competências de líderes e funcionários.

Desconstruir conceitos ultrapassados e rígidos é uma tarefa desafiadora para líderes e gestores no setor industrial, mas o modelo tradicional precisa ser revisto. Aprender com as lições do passado e evoluir na busca de novos horizontes é a melhor forma de promover a transformação cultural necessária.

Por isso, se manter bem informado e se apoiar na flexibilidade é tão importante para incentivar a inovação na prática.

 

Novos horizontes para a gestão de pessoas

A “cultura da inovação” é uma das buzzwords da Indústria 4.0. Todas as empresas têm um objetivo comum de obter sucesso e se diferenciar dos concorrentes e, por isso, a inovação emerge como prioridade estratégica.

Entretanto, é preciso atenção para não fazer da cultura da inovação um discurso vazio, uma vez que ela vai muito além de boas ideias restritas a um único departamento. A capacidade de aplicar o mindset inovador em todas as áreas de uma organização é determinante para a eficiência.

Quando se fala em transformação digital, neste caso, no setor industrial, a primeira coisa a ser levada em conta para que ela se concretize é o fator humano. Para que isso aconteça, a cultura organizacional deve ser pautada em três eixos:

 
#1 Motivação e empoderamento

Fortalecer a fonte de criatividade e inovação das organizações – ou seja, as pessoas – é o primeiro passo para obter êxito na indústria 4.0. Os talentos impactam profundamente na transformação digital e é imperativo que as organizações compreendam e respondam às suas necessidades. Logo, um modelo de gestão mais humanizada e o empoderamento dos colaboradores é muito importante para garantir a motivação necessária para essa jornada.

As empresas que mudaram para uma gestão mais humanizada, defendem ações orientadas para a motivação, engajamento, inclusão, retenção e valorização dos seus colaboradores, além de prezar por um bom ambiente de trabalho. Todo esse incentivo promove o aumento de produtividade, o atingimento de resultados e torna possível a tão almejada cultura da inovação.

 
#2 Capacitação e desenvolvimento

A falta de treinamento é uma barreira para se atingir o máximo potencial, por isso, as organizações precisam garantir que suas forças de trabalho possuam as habilidades necessárias para ter sucesso em um ambiente de Indústria 4.0.

Segundo pesquisas, um número crescente de líderes compreende a responsabilidade de desenvolver sua força de trabalho, investindo em capacitação. Mais de 80% destes líderes criaram ou estão criando uma cultura corporativa de aprendizado ao longo da vida, com outros 17% planejando fazê-lo.

Mais do que nunca, o sucesso na era digital precisa do investimento em treinamentos, desenvolvimento e capacitação dos colaboradores, qualificando e oferecendo crescimento contínuo a eles.

Para garantir efetividade nessa estratégia, entender quais habilidades são necessárias para atingir sucesso nesse mundo em constante mudança, é definidor. Estar ciente das constantes mudanças no contexto industrial ajuda a construir equipes de alto desempenho, preparadas para entregar os resultados esperados.

 
#3 Colaboração e engajamento

Falamos no início deste post que o fortalecimento da cultura da inovação deve ser um objetivo comum de toda a empresa. É importante que os colaboradores também percebam a importância da mudança para aceitá-la.

Times engajados entre si e com a causa da inovação potencializam as chances de a estratégia funcionar. Mas como promover esse engajamento das pessoas dentro organizações?

Mostre o valor da inovação, dissemine os benefícios das novas metodologias e capacite as pessoas para atuar com as novas tecnologias. Resolva os problemas das pessoas. Entenda que, depois desse ato de empatia, a colaboração também é primordial: as tecnologias tendem a funcionar melhor quando são construídas em colaboração com seus usuários e não só para eles.

Ademais, entenda que os eixos motivação e empoderamento, capacitação e desenvolvimento e colaboração e engajamento são dependentes entre si.

Não existe colaboração em um cenário onde a falta de autonomia e a centralização de poder reinam. Não é possível obter alta performance quando pessoas não tem as habilidades necessárias e não se sentem motivadas a produzir.

 

A liderança 4.0

Liderar é servir de exemplo. Quando falamos da importância do engajamento dos colaboradores com a causa da inovação, a adoção dessa postura por parte da liderança vem em primeiro lugar.

Líderes que não estão abertos as mudanças vão atrasar o processo, ou até mesmo inviabilizar a transformação. Para tornar possível o novo modelo de gestão, é preciso abdicar dos modelos tradicionais de liderança. É preciso se preocupar não só com o sucesso individual, mas também com o sucesso de seus liderados. É imprescindível ter atitude positiva, sintonia e capacidade de inspirar pessoas.

O líder 4.0 acompanha tendências do mercado sem se esquecer de considerar as demandas internas: motivação, capacitação, colaboração e seus derivados.

Confira quais são as 8 qualidades de um líder 4.0 segundo os autores Sandro Magaldi e José Salibi Neto no livro Gestão do Amanhã.

 
8 habilidades do líder 4.0
 

Próximos Passos

Você está acompanhando as mudanças na Indústria 4.0? Como lida com isso dentro da sua empresa?

Continue acompanhando nossa série de conteúdos ROADMAP 4.0 para promover uma transformação digital industrial eficaz, garantindo sucesso na jornada para a Indústria 4.0.

Acompanhe nossas redes sociais para receber todas as novidades!

Instagram | LinkedIn

Date: 17 July, 2020 Author: